Impact.Camp – Turismo de Impacto pela Conservação da Natureza
11 Abr
Impact.Camp – Turismo de Impacto pela Conservação da Natureza
Partilhar

A Plantar Uma Árvore é parceria do primeiro Impact.CAMP que visa apoiar a implementação da Diretiva Habitats, da Estratégia Europeia para a Biodiversidade e do Regulamento da UE 1143/2014 sobre Espécies Exóticas Invasoras, através de um conjunto de atividades de voluntariado, formação, trabalho em rede e capacitação de cidadãos.

Dando sequência aos trabalhos de caracterização ecológica e identificação de necessidades de conservação que se encontram em curso pelo projeto LIFE VIDALIA (LIFE17 NAT/PT/000510) e aos objetivos de intervenção a que se propõe o projeto LIFE IP AZORES NATURA (LIFE17 IPE/PT/010) o Governo Regional vai apoiar, através da Secretaria Regional de Energia, Ambiente e Turismo, entre 12 e 21 de Abril, a realização de um primeiro impact.Camp, na Ilha de Santa Maria.

Criado e promovido pela Direção Regional do Ambiente em colaboração com as equipas experience.NATURE e da associação Plantar uma Árvore, esta iniciativa visa ensaiar a aplicabilidade do conceito do “turismo de impacto” a objetivos de conservação da natureza e biodiversidade.

O “turismo de impacto” – também referido como “volunturismo” – apesar de bem conhecido e com provas dadas no apoio a causas sociais, só recentemente começou a ser aplicado a fins ambientais e de conservação da biodiversidade, sendo este, provavelmente o primeiro exemplo da sua implementação em contexto nacional.

No caso em apreço, a equipa de 8 voluntários e 2 monitores irá trabalhar no controlo de Agave, para apoio à conservação de uma população de Lotus azoricus que é provavelmente das mais relevantes no arquipélago. A iniciativa, pelo seu caráter demonstrativo e de apoio à implementação da Rede Natura 2000 e Estratégia Europeia da Biodiversidade, é também um evento parceiro da edição de 2019 da “Greenweek”, programa que a Comissão Europeia dedica anualmente a questões ambientais e que este ano se centra em formas inovadoras de aplicação das políticas europeias.

Para atingir estes objetivos, foi ainda determinante a colaboração do proprietário da área de intervenção, com quem se prevê a assinatura, no dia 12, de um Acordo de Custódia, também este um instrumento com caráter inovador a nível regional e nacional, que permite conjugar esforços entre a administração pública e os legítimos donos de áreas que, como aquela em apreço, possuem elevado valor de conservação. O trabalho beneficia ainda da colaboração e trabalho em rede com o projeto LIFE VOLUNTEER ESCAPES (LIFE17 ESC/PT/00003), de cujas equipas são oriundos alguns dos voluntários participantes.

No seu conjunto, os 8 voluntários – oriundos do continente e de outros Estados Membros, alguns dos quais integrando o Corpo Europeu de Solidariedade – irão trabalhar diariamente em colaboração com as equipas do Parque de Ilha para assegurar as primeiras atividades de controlo de flora invasora, ao mesmo tempo em que, numa perspetiva de turismo, irão conhecer a ilha, ao fim-de-semana.

Na sequência, e decorrendo da avaliação de resultados alcançados, espera-se de futuro promover novas edições destes programas, bem como a capacitação dos agentes de animação turística regionais para que possam desenvolver programas análogos e colocá-los no mercado, contribuindo para os objetivos de desenvolvimento de um turismo sustentável.

Decorrendo da colaboração já estabelecida, a equipa agora envolvida nesta primeira edição continuará o seu trabalho, na área agora intervencionada, até se atingirem os objetivos de controlo e erradicação do Agave e de outras espécies de flora exótica invasora que ameaçam a conservação da população de Lotus azoricus existente no local.

Impact.Camp – Turismo de Impacto pela Conservação da Natureza